terça-feira, 17 de março de 2009

CONCEITO DE AMOR

Sentimento nobre e sublime que
Sobrepassa todo o entendimento do meu ser;
Que transborda e inunda o meu peito
Que me afaga quando estou dormindo...
Enfim, sinto o amor mas não o vejo....
A minha única esperança é,
Que o AMOR se instale
E como uma paixão avassaladora,
Não saia jamais do ninho que o esperava.
(Débora Menezes 19.04.2008)

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. ”Amor, ch'a nullo amato amar perdona,
    mi prese del costui piacer sì forte,
    che, come vedi, ancor non m'abbandona.

    Amor condusse noi ad una morte:
    Caina attende chi a vita ci spense”.

    “Amor, em paga exige igual ternura,
    Tomou por ele em tal prazer meu peito,
    Que, bem o vês, eterno me perdura.

    “Amor nos igualou da morte o efeito:
    A quem no-la causou, Caína, esperas”.

    Divina Commedia
    Inferno V° Canto vv.103 -107
    Dante Alighieri


    Por um lado, destaca-se o poder esmagador do amor, que (como muitos disseram) não permite a uma pessoa que seja verdadeiramente amada de não recambiar (e isso explica a atração entre Paolo e Francesca), juntamente a esta interpretação coloca-se pelo menos uma outra:
    O amor (sagrado de um casamento, como aquele de Francesca) não perdoa e não admite de amar outros;
    O amor é, portanto, em Dante, algo complexo que não pode ser reduzido unicamente ao "Amor Cortese"; em quanto põe contradições naturais que conduzem a resultados até trágicos.
    A Francesca (que é casada) o amor não permite de amar outro que não seja seu marido. Mais o mesmo amor, porém lhe permite de retribuir o sincero sentimento de Paolo (que os levará à morte e à danação eterna).
    Esta contradição mesma entre, os preceitos religiosos e o esmagador poder do amor, expresso em tão alta forma, explica a solidariedade de Dante para os dois pecadores.
    O poeta não se põe como moralizador, simplesmente descreve a tragédia do conflito entre a moral e a paixão, duas forças que são invencíveis.
    E assim, mesmo se põe Paolo e Francesca entre os malditos, não pode deixar de sentir um profundo sentimento de piedade humana para eles.

    ResponderExcluir